Residual do 13º de servidores do Estado do Acre será escalonado a partir de fevereiro

13oA segunda parte do 13º salário dos servidores do Acre será paga de forma escalonada com base na faixa salarial. Um cronograma de pagamento foi divulgado nesta quinta-feira (17) pelo governo do estado.

Começam a receber o benefício a partir de fevereiro os servidores que ganham salários mais baixos. (Veja o cronograma abaixo de pagamento).

Ao todo, mais de 31,7 mil servidores aguardam o pagamento da segunda parcela do 13º.

O governo esclareceu que fez o parcelamento em dez meses do valor total da dívida do benefício, que gira em torno de R$ 70 milhões. Os secretários da Casa Civil, José Ribamar, da Fazenda (Sefaz), Samírames Maria Plácido, e da Gestão Administrativa (SGA), Maria Alice Araújo, explicaram como foi feito o escalonamento do pagamento.

Pagamento 13º de servidores do Acre

Mês de pagamento: Valor líquido a receber

Fevereiro: Até R$ 1 mil

Março: Entre R$ 1.000,01 mil e R$ 1.750 mil

Abril: Entre R$ 1.750,01 mil e R$ 2,1 mil

Maio: Entre R$ 2.100,01 e R$ 2,4 mil

Junho: Entre R$ 2.400,01 e R$ 2.650 mil

Julho: Entre R$ 2.650,01 e R$ 3.240 mil

Agosto: Entre R$ 3.240,01 e R$ 4,3 mil

Setembro: Entre R$ 4.300,01 e R$ 6,1 mil

Outubro: Recebe a partir de R$ 6.100,01

Fonte: Secretaria da Fazenda do Acre

“A tabela foi construída partindo do princípio de quem tem o menor valor a receber são os que têm o menor salário. O governador passou a determinação de fazer o pagamento para quem tem o menor salário. O pagamento só será possível em virtude da reforma administrativa que fizemos”, explicou a secretária Maria Alice.

A secretária Maria Alice acrescentou que até março o governo vai ter quitado cerca de 50% do compromisso com os funcionários. “Em maio teremos pago 70% dos mais 31 mil funcionários que ficaram com débito. Em julho, teremos atingido 86% do funcionalismo público. Até outubro teremos pago 100% dos funcionários”, acrescentou.

Dinheiro usado

A secretária da Sefaz, Semírames Maria Plácido, explicou que no pagamento do 13º salário será utilizado integralmente os recursos disponibilizados em 2019. Segundo ela, não houve uma previsão quitação da quitação do débito.

“Não somente essa situação, mas outras que vamos ter que utilizar do nosso financeiro de 2019. Então, a arrecadação do Estado em relação ao Fundo de Participação dos Estados (FPE) é mais de 70%, então, dependemos da União, e o restante com a nossa Receita Estadual”, garantiu.

A secretária afirmou que os compromissos financeiros do governo estão apertados. De acordo com ela, o governo vai gastar cerca de R$ 230 milhões mensalmente com folha de pagamentos. Os repasses para os Poderes soma-se em torno de R$ 50 milhões.

“Viu-se na necessidade de fazer esse escalonamento o cumprimento das nossas obrigações de janeiro de 2019, ou seja, a nossa folha de pagamento de ativos e inativos, nossa parte previdenciária – sabemos que nosso déficit previdenciário é em torno de R$ 45 milhões, então além de honrar com nossa folha de janeiro, temos os repasses da dívida interna e externa”, ressaltou.

As informações e imagem são do G1 AC.