Passageiros interditam rua contra aumento da passagem de ônibus para R$ 4,08

protesto-passagemUsuários do transporte coletivo de Rio Branco realizaram uma manifestação, na manhã desta terça-feira (24), contra o novo sistema de ônibus e o possível aumento na passagem dos coletivos. O ato ocorreu  em frente ao Terminal do Adalberto Sena, localizado no bairro de mesmo nome. As ruas ficaram fechadas por ao menos de 30 minutos. A Polícia Militar e a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (RBTrans) foram até no local.

saiba mais

O Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo do Estado do Acre (Sindcol) apresentou uma planilha de custos para a Prefeitura da capital, que prevê que a passagem passe de R$ 3 para R$ 4.

Ao G1, o diretor da RBTrans, Gabriel Forneck, disse que órgão está tentando conversar e resolver a situação. “É um sistema novo e que não dá para fazer uma avaliação em uma semana. Todas as reclamações de atraso de ônibus, aumentar o número de ônibus em algumas linhas, a gente tem feito. Agora temos que pedir um pouco de paciência”.

Com relação ao aumento da passagem de ônibus, Forneck informou que o reajuste é uma questão contratual, que permite que as empresas solicitem ao Conselho Tarifário a cada ano depois um aumento e a variação de uma nova tarifa.

“O Conselho está estudando, a Federação da Indústria se colocou para fazer a avaliação da tarifa e nesta quarta (25) deve apresentar uma contraproposta aos R$ 4,08 que as empresas de ônibus apresentaram. Entendemos que esse valor é alto e a RBtrans não concorda com os R$ 4”, alegou.

Manifestantes são contra auento da passagem de ônibus (Foto: Iryá Rodrigues/G1)Manifestantes são contra auento da passagem de ônibus (Foto: Iryá Rodrigues/G1)

A jovem Jéssica Almeida, de 25 anos, que trabalha em um salão de cabeleireiro, disse que depois da implantação do novo sistema ela chega atrasada todos os dias no trabalho. “Os ônibus chegam e passam meia hora parados e a gente fica esperando. Colocaram wifi, mas só para distrair a gente. Somos contra o aumento e esse sistema que atrapalha mais ainda a gente”, reclama.                       

O autônomo Luciano Assis, de 29 anos, questiona a falta de cobradores nos coletivos. “Se colocam um novo sistema para facilitar, tem que funcionar. Antes desse novo sistema, em 30 minutos a gente chegava no Centro, mas agora é bem mais demorado. Até os cobradores tiraram e agora querem aumentar a passagem de ônibus. Isso não pode, está cada vez mais difícil”, fala.

Com o protesto, o motorista Auriano da Silva, de 42 anos, que carregava 60 caixas de banana, disse que apesar de ser a favor do movimento, acaba atrapalhando quem precisa trabalhar e passa pelo local. Preocupado com o carregamento, ele afirmou que pode ter prejuízo caso demore para a rua ser aberta pelos manifestantes.

“Eu concordo, mas a gente não tem nada a ver com isso. Tinham que fechar o Terminal Urbano no Centro e não a estrada. Prejudicou e muito e pode estragar meu carregamento”, afirmou o motorista.

As informações e imagens são do G1 AC, por Iryá Rodrigues e Tácita Muniz.

Comments are closed.