Levante de haitianos na fronteira do Acre movimenta imprensa mundial

Jornalistas de jornais, TV’s e sítios viajaram milhares de quilômetros para noticiar situação

 

 

Pra quem achava que o estado do Acre, localizado no extremo norte do Brasil e que faz divisa com países da Bolívia e Peru não existia, vem aparecendo na mídia nacional e internacional desde que passou a receber um levante de haitianos que estão fugindo da pobreza e da fome de seu país, que foi assolado por um terremoto em 2010 deixando centenas de milhares de mortos.

 

Jacksin Etienne (31), que fala cerca de 4 idiomas e está aprendendo o português,

sendo entrevistado pela equipe do The New York Times em Brasiléia – Foto: Alexandre Lima

 

A cidade de Brasiléia, que tem cerca de 22 mil habitantes, aproximadamente 16 mil na zona urbana, teve sua rotina mudada desde que recebeu mais de 1200 haitianos nos últimos seis meses de 2011, sendo que na última semana de dezembro, após um boato de fechamento da fronteira do Acre, cerca de 400 entraram no Brasil.

Nesse meio, existem histórias de vários haitianos que, de alguma forma perdeu entes e bens materiais ficando apenas com a roupa do corpo. Num dos casos, um homem chorava pela Praça Ugo Poli, após saber que um de seus filhos havia morrido de fome na cidade de Porto Príncipe (Capital do País).

O pouco dinheiro que estava enviando, ganho fazendo serviços braçais por onde passava, não foi o suficiente para que sobrevivesse, já que a metade era desviado por que deveria cuidar enquanto se estabilizava no Brasil, para depois ir buscar.

Segundo foi informado, Brasiléia talvez seja a única cidade do Brasil que esteja dando apoio logístico e alimentação pagos pelo Governo do Estado. E nisso já foi gastos quase 1,5 milhões de reais sem que a União tomasse alguma providencia até o momento, apesar de muitos pedidos de ajuda.

Com as notícias correndo mundo através de jornais locais, a mídia nacional e internacional, passaram a olhar a situação e mostrar um caos social que se instalou na pequena cidade de Brasiléia.

Empresas nacionais como O globo, Folha de São Paulo, Estado de São Paulo, Rede Globo, Record, Bandeirantes, além de sítios de notícias já passaram por Brasiléia. Se juntam a esses, a empresas internacionais que chegaram nesta quinta-feira, dia 5, o The New York Times e Aljazeera, que estão registrando a chegada dos refugiados.

Quem sabe com essas empresas levando notícias para o mundo da real situação que vem se instalando na pequena Brasiléia, que teve seu crescimento populacional em 7% (aproximadamente) em menos de um ano, a União possa agilizar os trâmites em liberar mais rápido àqueles que querem ir para regiões do Sul e recomeçar suas vidas.

Nesta quinta-feira, cerca de 27 haitianos conseguiram viajar para o estado de Rondônia munidos de CPF’s e CTPS. Até a noite de quarta-feira, chegaram cerca de 31 e ainda se mantem os 1.201 que espremem no pequeno hotel arrendado pelo governo do Acre.

Fonte: oaltoacre.com

Envie uma resposta