Estagiários denunciam atraso de 15 dias em pagamento de bolsa pelo governo do Acre

estagiario_009Estagiários do governo do Acre afirmam que estão com o pagamento atrasado há ao menos 15 dias. Um estudante, que preferiu não ser identificado, contou que a Biblioteca Pública não abriu neste sábado (25) e decidiu suspender os estagiários devido ao atraso.

Segundo ele, o contrato prevê que os estudantes recebam no máximo até o dia 10 de cada mês.

A reportagem do G1 entrou em contato com o governo, que informou que vai se posicionar posteriormente sobre o caso.

“Disseram aos estagiários que a Secretaria da Fazenda (Sefaz) não tinha feito o repasse financeiro para a Fundação Elias Mansour (FEM), disseram na sexta [24], que tinham feito o repasse e que o dinheiro cairia, mas até agora nada”, conta o estudante.

Além da biblioteca, estagiários do Memorial dos Autonomistas, Palácio Rio Branco, entre outros locais, reclamam do atraso. O estudante diz que mora na casa dos pais e recebe ajuda, mas conhece colegas que estão com dificuldades e já tiveram serviços, como luz e internet, cortados.

“Tenho vários amigos que não estão indo trabalhar, pois não têm um real para pagar nem a passagem e dependem desse dinheiro. Alguns até vivem de aluguem e sofrem ameças de serem despejados. Estudamos e temos gastos na faculdade que precisamos cobrir com esse dinheiro. Muitos se salvam por ter uma bolsa na universidade”, afirma.

Outra estagiária, que também preferiu não se identificar, conta que os atrasos são constantes e que desta vez não há previsão para fazer o pagamento, mas, mesmo assim, a jovem espera que a situação seja normalizada na próxima semana. Ela afirma que tem uma filha e que está passando necessidades, pois essa é a única renda que tem.

“Eles não se importam com a gente. O aviso de corte da minha luz já chegou. Eu moro sozinha com a minha filha e não estou indo trabalhar, pois não tenho como colocar crédito no meu cartão. É uma situação desumana e triste”, relata.

A jovem diz ainda que caso a situação não seja normalizada vai procurar os direitos dela na Justiça.

As informações e imagens são do G1 AC, por Quésia Melo.