Deputado pede que MP investigue irregularidades e mortes em hospitais no Acre

huerbO deputado estadual Luiz Gonzaga (PSDB-AC) pediu que o Ministério Público do Acre (MP-AC) investigue uma série de irregularidades nos hospitais do Acre.

Entre as denúncias do parlamentar está mortes no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb). Segundo ele, entre os dias 15 e 16 desse mês morreram ao menos 14 pessoas na unidade hospitalar.

Em nota, a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) informou, por meio do Núcleo de Segurança do paciente e Qualidade Hospitalar, que está verificando os fatos denunciados pelo deputado.

Ainda segundo a Saúde, nenhuma irregularidade foi confirmada. O órgão relembrou que o Huerb recebe, constantemente, pacientes em estados graves e gravíssimos e é referência na recepção desses pacientes. A nota completa pode ser conferida no final da matéria.

A denúncia foi feita durante a sessão desta quarta-feira (20) na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). Segundo Gonzaga, um pai falou para ele que foi recomendado por um funcionário do Huerb a não deixar o filho internado na unidade. O fato ocorreu na sexta (15).

“Encontrou um funcionário que pediu para ele não deixar o filho dele porque tinham morrido 14 pessoas lá. O cara é amigo dele e se preocupou. Na segunda [18] outra pessoa me procurou e fez a mesma denúncia. Uma pessoa lá de dentro falou que não foram 14 e sim 13 pessoas, porque a décima quarta pessoa chegou lá quase morta”, explicou o deputado ao G1 nesta quinta (21).

Ainda segundo o deputado, as mortes não têm uma causa determinada. Ele falou que conversou com dois familiares e um servidor da unidade.

O parlamentar acrescentou ainda que as vítimas eram idosas de família do interior ou da área rural do estado. “Acho que é uma bactéria que vai continuar matando. Não sabem a causa das mortes. As pessoas que vão lá estão correndo perigo. Tem que fazer um jeito de eliminar a bactéria”, complementou.

Gonzaga ressaltou que pediu que o MP-AC apure ainda irregularidades no Hospital das Clínicas e de Cruzeiro do Sul, interior do Acre. Um dos casos citados pelo parlamentar foi o do Hospital das Clínicas, que adiou as cirurgias por falta de material.

Já em Cruzeiro do Sul, técnicos de enfermagem e enfermeiros estão em greve há um mês. A categoria reivindica melhores condições de trabalho, retorno dos profissionais que foram demitidos e a redução da carga horária de trabalho semanal.

“Falta material, linha de sutura, nem linha tem para operar as pessoas. Pedi que o Ministério Público verifique porque é lei. Está na Constituição que saúde é direito do cidadão e dever do Estado. Então, que o Ministério Público investigue. Solicitei na Assembleia”, contou.

As informações são do G1 AC.