Caixa preta: Jarude mantém assinatura na CEI e vereador “oposição” desaparece

jarudePSL, do vereador Jarude, é contrário à investigação

Um dos vereadores mais procurados na sessão dessa quinta-feira da Câmara de Rio Branco, a primeira ordinária desse ano, foi Clézio Moreira (PSDB). Ele desapareceu. Os vereadores da oposição precisam da assinatura dele para que a Comissão Especial de Inquérito (CEI) possa investigar as empresas e os contratos com no sistema de transporte coletivo da Capital.

A oposição tem apenas cinco vereadores favoráveis. Precisa de mais um. Mas, Clézio, que ocupa a vice-presidência da Casa, deixou bem claro que não vai assinar.

Outro vereador que vem sofrendo pressão é Emerson Jarude. Em reunião nessa quarta-feira, o PSL determinou que seus dois vereadores estão proibidos de aderir à CPI. No caso de Juruna, não tem problema, ele já vinha obedecendo ao partido que é ligado à Frente Popular.

Entretanto, Emerson Jarude, que tinha assinado a lista de criação da comissão, informou que não vai atender à direção do PSL. “O partido tem seus motivos, mas eu já disse que vou manter meu nome na comissão. Até porque vou ficar do lado da população”, relatou.

Os vereadores da base do prefeito deixaram claro que não vão aceitar a criação da comissão. O vereador Roberto Duarte, articulador do movimento pró-comissão de investigação, alega que existem dúvidas nos contratos assinados pela prefeitura com as empresas.

Atualmente, a empresa detentora de 68% dos itinerários tem uma dívida com o Governo Federal de R$ 41 milhões. O vereador informou que só a CPI pode levantar as informações se o contrato com a Prefeitura de Rio Branco foi assinado quando a empresa já tinha essa dívida com o Governo Federal.

“Se já estavam devendo tributos, o contrato não poderia ser assinado. Nós precisamos saber disso com detalhes para saber se existem ou não irregularidades. Não sei do que a situação tem medo”, sugeriu.

A oposição sabe que da base do governo não vai conseguir adesão, nem de descontentes como Artêmio Costa e Antônio Morais. A saída é o único vereador da oposição que não assinou a lista. Mas, todos já sabem que não vai ser fácil mudar o posicionamento de Clézio, até porque, está difícil encontrá-lo.

As informações são do site Agazeta.net, por Adailson Oliveira.